domingo, 2 de setembro de 2012

Capitulo 4 (parte III)

Olá! Antes de mais, tenho de pedir-vos IMENSAS desculpas pela enorme demora, mas tenho andado numa autêntica confusão e não tenho tido cabeça nem paciência para escrever! Peço imensas desculpas pela demora!
Em relação a um novo capitulo da minha outra fic, vou tentar escrevê-lo o mais rápido que conseguir!
E pronto, deixo-vos aqui mais este capitulo, um pouco maior. e espero que gostem e deixem as vossas opiniões!
Beijinhos*  E mais uma vez, desculpem a demora!

Mónica


(Catarina)

Haviam montes de telas, de vários tamanhos, encostadas às paredes, paredes essas que estavam salpicadas de todas as cores, num fundo branco. Mas haviam duas paredes diferentes, uma à frente da outra, sem telas encostadas. Estavam livres e distintas das outras. Uma estava pintada de de preto, apenas com alguns pequenos salpicos de tintas de outras cores num dos cantos quer superior quer inferior. A outra estava completamente branca. Ao fundo, do lado esquerdo, havia uma espécie de divisória escondida por uns cortinados grandes,pretos. Ao lado da divisória estavam inúmeros materiais de desenho e pintura, muito bem arrumados. O Tomás foi até junto dos cortinados e abriu-os.
-Também tenho um espacinho para descansar aqui - disse. - Apesar de muitas vezes a minha mãe me encontrar a dormir no chão.
-No chão?
-Sim. Às vezes estou tão cansado que acabo mesmo por adormecer - sorriu.
Sentámo-nos no sofá em L que ocupava quase a totalidade daquela pequena divisória, onde apenas constava um pequeno tapete a cobrir o soalho do chão que era comum em todo o atelier. Reparei também que tinha uma pequena janela, o que não existia em mais nenhuma das paredes do atelier. Por baixo da mesma estava uma moldura de medidas nem grandes nem pequenas, com uma fotografia do Tomás e da D.Francisca, actual, onde os dois se abraçavam e brilhavam com dois enormes sorrisos no rosto. Sorri ao vê-la.
-Tomás? - chamou a D.Francisca, ainda a chegar à porta do atelier.
-Diz mãe - respondeu ele, levantando-se. Levantei-me também.
-Vim só dizer-vos adeus, que vou já sair.
-Ok.
O Tomás deu-lhe um beijo na testa e a D.Francisca veio despedir-se de mim.
-Então vá, filhote, até logo.
-Até logo, mãe. - Ela saiu da porta. - E sim mãe, nós vamos ter juízo, não precisas de pedir nada! - riu.
-Não precisas que te peça para teres juízo, já és ajuizado e sabes que se fizeres alguma coisa incorreta é a tua consciência que vai pesar, filho.
-Eu sei mãe, estava a brincar - sorriu.
-Então vá, adeus meninos!
O Tomás fechou a porta.
-Então, o que é que achas deste espaço? - perguntou, vindo ter comigo.
-Isto não é um espaço, é um mundo, Tomás!
-E gostas?
-Adoro!
-Ainda bem - sorriu.
-Só tenho uma dúvida...
-Diz.
-Porque é que só tens uma janela no atelier?
-Na verdade são duas - apontou para o tecto e ambos erguemos a cabeça para o mesmo. Havia uma janela no telhado. - E é a partir desta que muitas vezes tenho inspiração. À noite a Lua é o centro desta janela.
-Lindo...
-Tu também - sorriu.
-O mesmo digo de ti - respondi, sorrindo também. Recebi mais um enorme sorriso.
-E és inspiradora, sabes... - disse-me, com um sorriso pretencioso e um olhar intimidador.
-Devo ser... - disse-lhe com um pequeno sorriso nervoso.
Ele aproximou-se mais de mim, abraçou-me pela cintura e juntou os nossos lábios. Abraçei-o também e apreciei aquele beijo.



 Senti-me tão leve nos seus braços. Senti-me ligada a ele com as nossas bocas envolvidas daquela maneira. Ele começou a explorar, aos poucos, novas formas de me intimidar e novas formas de me fazer reagir a beijos tão pretenciosos quanto este. Interagíamos rapidamente e com um desejo cada vez mais notório. Sem dúvida, pelo menos para mim, tudo tinha começado com uma enorme atração física, uma vontade de ter como meus aqueles lábios que mostravam muitas vezes diversos sorrisos que me deixavam a sorrir também, uma vontade de contemplar aqueles olhos de um tom castanho-mel mais de perto, uma vontade de poder sentir o toque das suas mãos, uma vontade de fazer o que quisesse sem qualquer tipo de restrição... E depois o seu olhar e o seu sorriso mostraram-me, mas não nitidamente, que o seu físico me atraía, mas o seu interior me interessava...
-Acho que não precisas que te ensine mais nada... - sorriu-me quando nos separámos.
-Mérito para o professor - sorri. Ele deu uma gargalhada.
-Bem, queres que acabe o desenho já, ou não tenspaciência?
-Tu é que tens de ter disposição. O artista és tu, não sou eu.
-A musa também tem de estar inpirada, e aqui a musa és tu - sorriu.
-Oh Sr. Artista, eu estou à sua disposição! Por isso, vamos lá, o que é que eu tenho de fazer?
-Primeiro tens de descontrair.
-Eu estou descontraida.
-Oh, e eu a pensar que ainda podia aproveitar para te roubar mais uns beijinhos...
-Não seja por isso... - Aproximei-me dele e voltámos a trocar mais uns beijos. Acabámos por sentar-nos no chão.
-Pronto, vá, vamos lá senão não saímos daqui! - disse ele, levantando-se em seguida. Foi buscar um cavalete e uma tela em branco e colocou-se alguns metros à minha frente. - Só preciso que sejas natural. Mete-te numa posição confortável, utiliza a expressão que quiseres, mas deixa que o que sentes seja transmitido através disso mesmo. A imagem tem de transmitir o sentimento.
-Está bem. - Coloquei-me numa posição confortável mas que ao mesmo tempo transmitisse o meu estado de espirito. Coloquei um sorriso no mesmo tom.



-Já estás? - perguntou-me.
-Sim.
-Ok, então vamos a isto!
Começou por desenhar uns traços leves mas depois começou a trabalhar mais o que já tinha traçado. Fez tudo incrivelmente rápido. Enquanto ele trabalhava e eu estava ali a pousar como sua inspiração, fiquei a observá-lo. A observar a sua devoção, concentração e rigor. Esteve sempre tão absorto no seu trabalho... Sorri orgulhosamente enquanto o observava. Dava gosto vê-lo assim tão devoto.
-E pronto, o desenho já está acabado - anunciou, pousando o lápis. - Já podes sair dessa posição.
Fui até junto dele ver como tinha ficado. Estava perfeito, para apenas uma hora a traçar tudo aquilo. Fiquei abismada a olhar para a tela.
-Está... perfeito. - Ele sorriu.
-Obrigado - agradeceu. - Em relação à cor, queres que utilize as verdadeiras ou posso utilizar outras?
-Vais pintar?
-Tanto faz. Também posso só dar uns realces a preto, se preferires.
-O que é que achas que ficava melhor, neste caso?
-Hm... Se calhar os realces a preto ficavam melhor.
-Então deixa só com os realces.
-Ok.
-Vais fazer isso já?
-Não. Se calhar mais logo.
-Está bem.
-Entretanto queres ver as telas que já tenho aí?
-Claro que quero!
Ele foi-me mostrando as telas, acabadas e não acabadas, e foi-me explicando várias coisas sobre elas, o significado e caracteristicas técnicas. Depois descemos até à sala e ficámos a ver televisão.
 Por volta das cinco e meia fomos lanchar e depois disso dedicámos mais tempo a namorar do que a ver televisão.
-Jantas cá, não jantas? - perguntou-me, quando nos separámos de um beijo algo rebuscado.
-Janto.
-Respondeste que sim por causa do beijo?
-Mais ou menos.
-Mais ou menos?
-Eu não me quero ir embora, porque estou a gostar dos teus beijos. E porque gosto de estar aqui assim, abraçada a ti.
-E eu nada, não é?
-E tu nada? Não percebi.
-Gostas dos meus beijos, gostas dos meus abraços, mas de mim não pareces gostar... - tentou manter-se sério.
-Gosto, claro que gosto!
-Então prova.
-Como é que queres que o prove? - perguntei, disposta a prová-lo como ele pediria.
-Dorme cá, esta noite.
-E eu dormr cá prova alguma coisa?
-Pode provar... - sorriu provocadoramente.
-Vê lá o que é que estás a pensar! Acho melhor começares a limitar esses pensamentozinhos senão ainda sais desiludido! - disse, olhando para a televisão.
-Tenho certeza que não me vais desiludir - voltou a sorrir.
-Se eu te disser que sim é melhor não criares expectativas...
-Então é um sim?
-Não sei.
-Vá lá?
-Não sei.
Houve um pequeno momento de silêncio.
-Já sabes? - voltou a perguntar.
-Não, não sei...
-Hm... E agora?
-Pronto, sim! - cedi.
-Boa! - sorriu.
-Mas não há problema com a tua mãe?
-Não. Ela tem mente aberta. E ela sabe que eu a respeito e que tenho juízo.
-Espero bem que sim.
-Não te preocupes - voltou a sorrir-me e segurou o meu rosto para me beijar.
Voltámos a ficar assim algum tempo. Sentia-me enexplicavelmente bem quando sentia os seus lábios. Uma sensação de indefesa invadia todo o meu corpo, face ao que o seu toque me proporcionava, mas ao mesmo tempo um sentimento de calma e preenchimento enchiam o meu peito. Quando ouvi a porta de casa abrir-se recuei.
-Então?
-A tua mãe chegou...
-E então? Ela sabe o que é um beijo.
-Mesmo assim...
-Oh.
Roubou-me um beijo rapidamente.



-Olá meninos! - cumprimentou-nos a D.Francisca.
-Olá mãe!
-Então, vieram cá para baixo?
-Sim. Já acabei o desenho, só falta fazer os realces a preto!
-Muito bem, depois quero vê-lo.
-Claro!
-E então Catarina, o cantinho dele é bonito, não é?
-Muito - respondi.
-E jantas connosco?
-Janta, mãe. E ela vai dormir cá, está bem?
-Sim, não há problema. Já sabem o que azem, por isso não precisam que vos diga nada.
-Claro mãe, podes ficar descansada.
-E não precisas ficar envergonhada, querida. Eu também já namorei e sei como é que as coisas são, está bem? - sorriu-me a D.Francisca. Depois foi para a cozinha.
-Vês? Eu disse-te que não havia problema! - sorriu o Tomás.
Depois de jantar, ajudámos a D.Francisca a levantar a mesa e subimos para o atelier. Ele foi dar os toques que faltavam no desenho desta tarde enquanto eu fui buscar uma almofada eu me deitei no chão a olhar pela do tecto.
-É bonito, não é? - perguntou o Tomás, deitando-se ao meu lado.



-É. Gosto imenso de ficar a olhar para o céu, à noite, no Verão.
-Eu também.
Permanecemos algum tempo em silêncio, perdidos na linha visão que aquela paisagem nos porcionava.

19 comentários:

  1. Oin *.*
    São um casal bastante fofinho.
    Agora quero mais e mais, sim?
    Bjs Tânia

    http://talvezumdiatedigamote.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahaha sim, concordo, são um casal bastante fofinho :D
      Prometo mais assim que conseguir passar para o computador! :)
      Beijinhos* e muito obrigada pelo comentário!

      Mónica

      Eliminar
  2. Olá!
    Adorei! Ja tinha saudades deste casal tao fofo!
    Amei a forma como descreveste estes momentos!

    Beijo
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana!
      Ainda bem que adoraste! Não sabes o quão estes simples mas fantásticos comentários me deixam!
      Obrigada! Eu simplesmente tento transmitir os sentimentos e emoções que sinto ''nesses momentos'' assim como em toda a história!

      Beijinhos*

      Mónica

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Ainda bem que gostaste! Fico muito contente! Muito obrigada por teres deixado a tua opinião! :D

      Beijinhos*

      Mónica

      Eliminar
  4. Adoreii! Continua lá a escrever que quero o próximo capítulo! ahahah :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste, fico muito contente! Ahaha prometo o próximo capitulo o mais rápido que conseguir! :D

      Eliminar
  5. Gostei muito, um casal fofo sem duvida, adorei a ultima imagem que usas-te ta linda:)Gosto muito da forma como escreves.

    Umdiamudou.blogspot.com

    Beijinhos
    Patricia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste Patricia! Fico muito contente!
      Sim, também gosto bastante dessa imagem :D
      Muito obrigada, é muito bom saber que gostas da forma como escrevo :D

      Beijinhos*

      Mónica

      Eliminar
  6. Olaa!
    Somos a R*M e a Shoninha do blog "ao ritmo das palavras" e "stop everytinhg" e temos um espacinho que gostavamos que visitases e de gostares seguir: http://amareograndesegredo.blogspot.pt/
    Bjs
    *já seguimos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá :)
      Terei todo o gosto em visitar esse cantinho e segui-lo!
      E muito obrigada por me seguirem! :D
      Beijinhos*

      Mónica

      Eliminar
  7. Adoroooo *-* Qero mais pfv $:

    Sou nova nisto, depois se qiseres ver ..

    http://my-cute-12.blogspot.pt/

    Obrigada c;

    Beijinhos ;*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada! Prometo o próximo o mais rápido que conseguir :)
      Segui e terei muito gosto em ler a tua fic :)
      Não tens de agradecer :)
      Beijinhos*

      Mónica

      Eliminar
  8. Princesa, escolhi-te, http://my-cute-12.blogspot.pt/2012/09/liebster-blog-award_10.html

    Obrigada por seguires *-*

    Beijinhos c;

    ResponderEliminar
  9. Que lindo *-* Amei o capítulo, estou super curiosa com o próximo :b Escreve rápido princesa, beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que adoraste, fico mesmo muito contente :)
      O próximo capitulo vai ser tão ou mais bonito quanto este!
      Prometo publicar o mais rápido que conseguir!
      Beijinhos querida*

      Mónica

      Eliminar
  10. A tua fic tá tão linda *-*

    Olha, tenho uma espécie de prémio no meu blog para ti: http://eramumasmerasferias.blogspot.pt/2012/09/liebster-blogg-award.html

    Beijinhos
    Ju
    http://eramumasmerasferias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, muito obrigadaaa :D Ainda bem que gostas! :D
      Ohh, muito obrigada, vou passar pelo teu para ver o tal ''prémio'' que me deste :) Muito obrigada, querida :)
      Beijinho*

      Mónica

      Eliminar